Notícias

Após convenções, Lula une 9 partidos e fecha maior aliança de sua história

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conseguiu reunir a maior coligação em torno do seu nome na corrida ao Planalto —considerando as eleições que disputou desde 1989. Até a noite de ontem (5), a aliança deste ano contava com nove partidos.

Oficializaram apoio a Lula no primeiro turno: PCdoB e PV, que formaram federação com o PT; PSB, por meio do vice Geraldo Alckmin (PSB); PSOL, Rede, Solidariedade, Avante e Agir (antigo PTC). Na comparação com os demais candidatos, é a maior coligação deste ano.

O Avante e o Agir foram os últimos a entrar no grupo, na quinta-feira (4). Por meio de uma live nas redes sociais, o então candidato André Janones (Avante) confirmou que saiu da disputa para apoiar o petista. Com Lula, os dois falaram sobre propostas como o combate à fome e a manutenção do auxílio financeiro mensal de R$ 600 às famílias vulneráveis.

Com Alckmin, o PSB integrará a chapa como vice pela segunda vez. Em 1989, primeira eleição direta após a ditadura militar, o ex-senador José Paulo Bisol (PSB-RS), morto em 2021, compôs a chapa derrotada pelo senador Fernando Collor (que era do PRN, e hoje está no PTB).

Ainda dá tempo de outros partidos anunciarem apoio? A janela para realização de coligações partidárias fechou na última sexta-feira, de acordo com o calendário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Deixe seu comentário