Daniel Alves é formalmente indiciado na Espanha; jogador é suspeito de estuprar mulher em boate

0
0

A Justiça espanhola indiciou formalmente nesta quarta-feira (2) o ex-lateral da seleção brasileira Daniel Alves, que foi preso em prisão preventiva por mais de seis meses por uma acusação de agressão sexual contra uma mulher em uma boate de Barcelona em dezembro.

A juíza responsável pela investigação disse que encontrou evidências de irregularidades por parte do jogador de 40 anos, que afirma ter feito sexo consensual com a garota que o acusa.

O atleta já mudou sua versão dos fatos. Inicialmente, ele afirmou que não conhecida a denunciante. Em abril, ele declarou à juíza que manteve relações sexuais consensuais com a jovem, e afirmou que não reconheceu isso em um primeiro momento em um tentativa de ocultar a relação da esposa, que posteriormente pediu a separação.

Ele foi preso em 20 de janeiro e está detido em uma prisão nos arredores de Barcelona sem direito a fiança.

Na Espanha, uma denúncia de estupro é investigada sob a acusação geral de agressão sexual e as condenações podem levar a penas de prisão de 4 a 15 anos.

Segundo a mídia espanhola, ele precisará pagar 150 mil euros (R$ 784 mil na cotação atual) para cobrir eventuais danos e prejuízos (esse dinheiro não será pago para que ele possa sair em liberdade condicional).